Translate

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Aventura literária - um pouco sobre o meu nível de loucura por livros.


Hoje eu sai de casa cerca de meia hora mais cedo para ir até uma agencia "poupa tempo" e dar entrada na documentação necessária para conseguir uma habilitação para motorista. Adiei esse momento ao máximo, mas agora estou realmente cansada dessa vida de ônibus e de longas caminhadas. Estava saindo da agencia quando uma placa me chamou a atenção, ela dizia : troque um livro que você já leu por outro ainda não lido.

Não tinha ninguém tomando conta do estande, apenas uma caixa fechada com vários livros. A caixa era muito convidativa. Claro que era, estava cheia de livros, cheia de possibilidades. Então eu me aproximei, sentei no chão, destampei e comece a olhar o que tinha. Encontrei alguns livros que me interessavam e um que tinha certeza de que uma amiga queria muito. O grande problema, eu não tinha nenhum livro para barganhar em mãos.

Hoje já seria um dia longo sem esse acontecimento, além do compromisso na agencia eu ainda tinha combinado de encontrar essa mesma amiga do livro, em uma feira de livros que está acontecendo na USP, isso tudo até o horário de almoço, porque meu estágio começa as 14h00.
Mesmo sabendo disso tudo, aqueles livros não me saiam da cabeça. Eles pareciam esta me chamando, pedindo para serem levados para casa e cuidados com carinho. Eu não resisti, peguei um ônibus, o terceiro do dia e fui para casa, entrei coloquei os livros reservados para barganhas ( sempre tenho alguns) os enfiei na bolsa e em menos de 5 minutos
 já estava dentro de um outro ônibus a caminho da agencia e dos meu tão desejados livros. Eu sou uma pessoa ansiosa, as vezes nem quero muito um livro, mas a possibilidade de tê-lo me deixa ansiosa como se fosse o ultimo livro da terra.
Somando ida e volta encarei mais ou menos 1h30 de ônibus, na volta com a mochila pesada, cheia de livros.

Entrei na agencia e me direcionei para o cantinho onde a caixinha de livros deveria estar, mas ai veio a surpresa, o quanto estava vazio, a caixa tinha desaparecido.
Comecei a perguntar por ela aos funcionários, um não sabia do que eu estava falando, a outra até sabia mas não sabia a onde a caixa tinha ido parar, uma senhora da limpeza me disse que a melhor coisa era perguntar para o pessoal da administração, segundo ela eles sim sabiam das coisas, foi o que eu fiz.
Chegando lá um rapaz simpático me explicou que tinha guardado a caixa, pois as pessoas responsáveis ainda não tinham chegado, que o barganha só começaria oficialmente quando eles chegassem, mas que eu poderia voltar as 14h30 que eles com certeza estariam lá.
Acho que ele percebeu a minha decepção. Eu deveria realmente estar com uma cara ruim, estava chateada por ter dado errado, por ter gastado uma pequena fortuna em passe de ônibus e cansada, lembrando que ainda tinha o dia todo pela frente. Ele me disse que eu poderia olhar a caixa, escolher alguns e reserva-los e que se alguém pudesse busca-los depois para mim eles estariam lá.

Sai de lá em direção ao ponto para o que seria o meu quarto ônibus em menos de 3h, de lá fui direto para a feira, nada de almoço para mim hoje, onde não comprei nada porque os livros ou estavam acima de peso de mercado ou estavam baratos, mas eram livros naturalmente caros e que mesmo com desconto estão fora do meu orçamento apertado desse mês, dois ônibus depois cheguei no estágio, atrasa, com fome e sem  nenhum livro novo, sentindo mais do que nunca a urgência de deixar de depender de ônibus como principal meio de transporte, sei  que só consegui chegar por que dei uma baita sorte e que todos os horários de ônibus bateram e por nenhum ter se adiantado ou atrasado, o que é extremamente raro.

É engraçado como bastam algumas  pequenas coisas darem errado para o peso das muitas atividade que temos que realizar, das tarefas desagradável, da correria e da falta de tempo para as coisas que realmente gostamos caírem sobre nós de uma vez.
O importante é que final tudo deu certo, o namorado da minha amiga se dispôs a pegar os livros que queríamos e os que eu tinha reservado, chegando lá ainda descobriu que a organizadora do evento era uma conhecida nossa, o que foi uma baita coincidência, meus livros estão comigo e eu espero ter tempo para eles em breve.

Eu fico pensando no quanto esse meu desespero por livros é maluquice, mas para mim isso é importante, os meus livros são as concessões que faço a mim mesma, diante de todas as coisas que me privo para poder estudar, eles são um objetivo possível, um que posso alcançar periodicamente sempre que os verdadeiros objetivos parecem distantes de mais.

Então esse foi o resultado da minha aventura, livros novos, personagens novos, vidas novas,  um pouco de dor nas pernas e uma grande
sensação de bem estar por ter dado tudo certo, por tirar um pouco do peso do dia-a-dia das minhas costas e  no final das contas até que foi
divertido. Eis o resultado da minha pequena aventura :

2 comentários:

  1. Nossa, que odisseia!
    Mas por livros novos todo esforço vale a pena.
    Beijinhos.
    leiturasegatices.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo, por livros novos todo esforço é válido!! Só não ia ficar nada feliz se tivesse voltado para casa de mãos abanando, hahaha.

      Bjss ��

      Excluir