Translate

15 de out de 2015

As Crises de Seldon ou Fundação de Isaac Asimov.

Hoje eu finalmente tive um tempinho para terminar a delícia de livro que é FUNDAÇÃO,um clássico da ficção cientifica de Isaac Asimov.

Esse já é o meu segundo livro do autor, ele foi comprado depois da minha experiencia incrível com "Eu, Robô", que foi um leitura extremamente divertida, cheia de um humor ácido e que propõe um visão futurística bem interessante.

Eu robô é, como diz a sua sinopse inclusive, um livro de contos correlacionados,mas nele os eventos não ocorrem com um espessamento muito grande de tempo e as histórias possibilitam acompanhar os mesmos personagens ao longo de seu desenvolvimento, de maneira que me senti muito mais lendo um romance do que contos. Já fundação é um livro marcado por grandes saltos cronológicos  o que gerou, para mim, uma sensação de estar lendo contos na verdade.

Nesse futuro galaxias inteiras povoadas e governadas por um Império acomodado e que ml sabe estar a beira de um colapso. Pensar em uma superpopulação humana tão grande ao ponto de tornar possível a comparação de planetas inteiros com prefeituras e de galaxias com reinos  é impressionante.

O livro acompanha sempre um personagem que tem um importante papel de liderança no desenvolvimento da fundação. Começando com Gaal Dornick, um matemático de um planeta do interior  da galáxia que vem ao planeta capital do Império para aceitar um trabalho oferecido por um estudioso importante e misterioso, Hari Seldon, que propõe a criação de uma Fundação Científica. Dornick ainda não sabe mas vai se enfiar na maior confusão da galáxia.

O próximo personagem é o meu favorito até o momento, Hardin. Para acompanhá-lo a história tem um salto de quase 50 anos e nos leva a uma fundação desenvolvida que enfrenta uma grande crise, a primeira crise das muitas previstas pelo idealizador da fundação Seldon, para lidar com a crise, Hardin idealiza e coloca em prática uma religião como meio de controle das massas, que é responsável por manter uma paz  por um século.

O ultimo personagem marcante é Mallow, um comerciante com ambições politicas que percebe a chegada de uma nova crise Seldon  e vê no comercio a sua unica solução.

O livro apresenta a construção de mitos históricos. Aponta as estratégias de governo como sendo marcadas por uma validade, demonstrando que a insistência na manutenção de uma política ultrapassada ou inapropriada para o momento histórico é tão responsável pela ruína de uma sociedade quanto a acomodação e a ganancia.


Acompanhar o surgimento de grandes nomes políticos e sua transformação em mitos que merecem uma de adoração semi-religiosa ( como ocorre com Seldon) também foi bem legal.


Acabei me questionando se  a terra  não estaria vivendo um das crises de Seldon onde a povoação de outros mundos seria a única solução.


A ideia de que esse livro tenha sido escrito a tanto tempo, em 1951,  me parece inconcebível.É um livro muito pertinente e sua visão de futuro ainda pode ser considerada moderna.



" A violência é o último refúgio do incompetente"



4 comentários:

  1. Fundação é um livro incrível, com um enredo inteligente, cheio de referências históricas e, principalmente, nos faz refletir sobre a realidade.
    Impossível não amar.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de outubro. Serão seis livros para três vencedores.

    ResponderExcluir
  2. Sim impossível mesmo. Eu fiquei ainda mais apaixonada pela escrita de Asimov do que já estava !

    ResponderExcluir
  3. Oi Bibbi
    Parece que Asimov é bom mesmo. Está na minha lista faz um tempo, mas nunca peguei pra ler. Sempre tenho leituras atrasadas... :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa é bem legal, a leitura de fundação as vezes demora um pouco para engrenar, mas depois que terminei de ler fiquei vários dias de ressaca literária. Eu te recomendaria começar por Eu, Robô, que é muito, muito bom ;)

      Excluir