Translate

17 de mar de 2016

O Homem do Castelo Alto - Philip K. Dick.

O Homem do Castelo Alto é considerada a obra-prima do escritor americano de Ficção Científica Philip Kindred Dick. Como na maioria de suas obras o autor trata nesse romance das grandes dualidades que o incomodaram ao longo de sua vida : O real e o não real, o estático e o mutável, o homem e a maquina e até mesmo o yin e o yang.

Em uma realidade alternativa, a segunda guerra mundial obteve um desfecho diferente, no qual alemães e japoneses venceram a guera. O resto do mundo passou a ser subjugado a essas duas potências, e o plano de extermínio nazista atingiu a África, dizimando a população e o continente. Nessa versão de mundo vivem um vendedor de relíquias norte-americanas, um judeu disfarçado que fabrica falsas relíquias e sua esposa, um agente secreto alemão, um escritor de um polêmico livro ( que vive em um castelo alto), e os ouros personagens que poderemos acompanhar ao longo da narrativa.

Confesso que fiquei um pouco perdida no começo, a narrativa não é tão fluente como em Realidades Adaptadas ou em Fluam Minhas Lágrimas, disse o policial, outros livros do autor que li e gostei muito. Os personagens foram apresentados sem muitas descrições, e como são homens em sua maioria, eu os confundi e perdi o fio da meada.

Depois de me familiarizar com os personagens e com o ambiente, tudo ficou bem mais claro e ai sim comecei a entender o brilhantismo dessa obra. Da maneira como os fatos se desenrolaram o autor deixou clara a sua visão de que cada atitude nossa é capaz de influenciar, em uma reação em cadeia ( como um efeito borboleta) a vida de outras pessoas e até mesmo o destino do próprio mundo.  A temática da segunda guerra e desse universo alternativo na verdade foi bem menos explorada pelo autor do que eu esperava, ele faz breves descrições, mas na verdade o foco está na vida dos próprios personagens e em seus destinos.

Nesse livros, assim como nos outros, o final foi criado para nos fazer questionar o quanto do mundo que nos cerca é real, o quanto daquilo realmente existe e em que proporção tudo o que vivemos é manipulado e falso. Fiquei um pouco decepcionada, mas acho que criei muitas expectativas, o livro é realmente muito bom, de uma sensibilidade incrível e fruto de uma imaginação extremamente fértil, mas acho que não é capaz de representar, por si só, a genialidade do autor como escritor de FC como outros livros dele o são.

É importante falar dessas novas edições da editora Aleph, que estão trazendo grandes nomes da Ficção Cientifica de volta para as livrarias, eu particularmente já fiz coleção dos livros do K. Dick, com essas capas malucas que dão bastante tontura, e estou aproveitando para conhecer novos autores também, os livros tem folhas amareladas, com bom espaçamento. A única coisa que me incomodou foi o fato de os títulos dos livros nas capas estarem em um adesivo, que em um dos meus já está apagando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário